Jogos Memoráveis

A vitória da Seleção Brasileira de Futebol, no III Campeonato Sul-Americano de Futebol, ficou destacada não só para os brasileiros, mas também na história do futebol de Antonina. Abaixo, portanto, a descrição detalhada deste dia tão especial, que motivou a fundação da ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA 29 DE MAIO.

“O ano de 1919 foi memorável na história do futebol brasileiro. Pela primeira vez, o país organizaria um torneio da modalidade esportiva de nível internacional. Nem a epidemia de gripe espanhola tirou a felicidade dos brasileiros, em especial os cariocas. A cidade do Rio de Janeiro abrigou o III Campeonato Sul-Americano de Seleções de Futebol e para isso foi construído o Estádio das Laranjeiras do Fluminense.

As delegações de Argentina, Chile e Uruguai desembarcaram no cais da Praça Mauá, foram recepcionados no Clube São Cristóvão e hospedados no  Hotel dos Estrangeiros. A festa teve seus contratempos, o Uruguai teve a infelicidade de presenciar o falecimento do seu goleiro reserva Robert Chery, vitima de uma apendicite aguda.

Brasil (a equipe anfitriã) e Uruguai (atual bicampeão) chegaram a final e passaram a decidir o título daquele torneio. Como no domingo, 25 de maio, as duas equipes empataram por 2 a 2, foi marcado para o dia 29 uma partida extra. Segundo o regulamento, se o jogo terminasse empatado, haveria inúmeras prorrogações quando forem necessárias se o vencedor não fosse conhecido (lembrem-se que naquela época não havia disputa por pênaltis e nem o famigerado sorteio da moedinha).

Enquanto que a seleção uruguaia contava com jogadores como o goleiro Saporiti e os centroavantes Scarone , Romano  e  Gradin, os brasileiros tinham o goleiro  Marcos Carneiro e o trio paulista Neco, Friedenreich e Heitor Domingues. Cerca de 20.000 pessoas lotaram o estádio e como os ingressos custavam caro, as pessoas davam um jeito em ver a partida subindo no Morro das Laranjeiras ou se aglomeravam em frente ao Jornal do Brasil na Avenida Rio Branco à espera do resultado.

Zero a zero, depois de 120 minutos de futebol, as duas equipes foram obrigadas a jogarem uma nova prorrogação. E só aos 13 minutos do primeiro tempo desta segunda prorrogação, finalmente sai o gol para a alegria da torcida.  Arthur Friedenreich aproveita o rebote do goleiro  Saporiti e chuta a meia-altura do gol. Era o gol do primeiro título de futebol do Brasil, depois de 150 minutos de futebol (talvez a partida mais longa da história), já que a CBD (Confederação Brasileira de Desportos) tinha apenas cinco anos de Seleção Brasileira. Enfim, o futebol deixou de ser coisa de elite para virar uma grande paixão popular no Brasil.”

Ficha do Jogo-Extra

29/5/1919 – Estádio das Laranjeiras (Rio de Janeiro)

Brasil 1×0  Uruguai

Árbitro:Juan Barbera (Argentina)

Público: 20.000 pessoas

Gol: Friedenreich aos 13 minutos do 1º tempo da 2ª prorrogação

Brasil: Marcos Carneiro de Mendonça, Píndaro de Carvalho, Bianco, Sérgio, Amílcar Barbuy, Fortes, Millon, Neco, Arthur Friedenreich, Heitor Domingues e Arnaldo. T: Haroldo Domingos.

Uruguai: Saporiti, Varela, Foglino, Naguil, Zibechi, Vanzine, Peres, Scarone, Romano, Gradim e Marán.

O desempate entre Brasil e Uruguai foi o jogo mais longo da história da Copa América. Foram necessários 4 tempos extras de 15 minutos, que somam junto com o tempo do jogo 150 minutos.

 

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: