Craques do Passado

JAIR HENRIQUE ALVES – JAICO

Iniciou no XV de Novembro de Antonina no ano de 1960 até 1963. No ano de 1962 disputou o campeonato da Taça Paraná pelo Clube Atlético Batel, mas, ainda era atleta do XV de Novembro.

Em 1964 ingressou no Atlético Paranaense, ficando até 1969. Em 1970 vestiu a camisa do Operário de Ponta Grossa.

Jogador dedicado e que colocava a vontade acima dos seus próprios limites na tentativa de ajudar a equipe a obter a vitória. Foi um atleta muito talentoso, organizava os contra-ataques com maestria. Ótimo jogador.

* Bi-Campeão pelo XV de Novembro em 1962/63;

* Campeão de fato pelo Batel, na Taça Paraná de 1962, ocasião em que foi o cobrador das penalidades que rendundou no título do Batel, mais tarde surrupiado no tapetão.

Abaixo, um amistoso que Jair Henrique disoputou pelo 29 de Maio, ao lado de outros feras do futebol paranaense e brasileiro.

Fonte: ANTONINA E O ATLÉTICO – CLAUS LUIZ BERG

Revista Futebolística Ilustrada dos craques antoninenses que envergaram a camisa do Clube Atlético Paranaense – 2009

Anúncios

Placar Esportivo

Acompanhe os resultados dos jogos do final de semana:

CAMPEONATO BRASILEIRO SÉRIE A

38ºRodada

Baú do Futebol Antoninense

CEARÁ CONQUISTA O SEU 4ºTÍTULO DE CAMPEÃO AMADOR

Como já foi dito anteriormente, as décadas de 70 e 80, foram dominadas entre o 29 de Maio, Ceará e o Guará.

Esses times lutaram jogo a jogo durante os campeonatos para que se chegasse ao título máximo, e também usavam de todas as “armas” possives.

No caso do Ceará, uma das suas “armas”, era sem dúvida o campo do Matarazzo (utilizado para a  realização dos seus jogos), onde a pressão da torcida e muitas vezes a intimidação aos adversários e juízes, transformavam o campo do Matarazzo num verdadeiro “Alçapão”.

Mas não sejamos injustos, além disso, o Ceará sempre formou excelentes equipes, e não foi diferente nesse ano de 1982, com jogadores jovens de ótima qualidade técnica e mesclando com a experiência de veteranos jogadores, o Ceará levantou o seu 4ºtítulo de Campeão Amador de Antonina no ano de 1982.

Abaixo, umas das formações do escrete campeão.

Alguns dos jogadores dessa equipe: Tatu, Nestor, Hermano, Mauricio Pesudo, Guduva, Silvio Assunuma, Carlinhos e Sabico.

Você Sabia?

 Que:

–  Em 1970 os juízes começaram a mostrar cartões amarelo e vermelho. Os cartões foram introduzidos pela Fifa na Copa do Mundo de 1970, para facilitar o trabalho dos árbitros em partidas internacionais.

–  Em 1950 passaram a ser usados números nas camisetas pela primeira vez.

– O primeiro jogo disputado à noite foi no dia 23 de junho de 1923, na Várzea do Glicério, em São Paulo. O campo foi iluminado faróis de 20 bondes.

–  A primeira partida de futebol televisionada em cores no Brasil, foi entre dois times gaúchos, Caxias do Sul e Grêmio, em 19 de fevereiro de 1972, em Porto Alegre. 

– As traves passaram a fazer parte do campo de futebol em 1875, para substituir as fitas de tecido que uniam duas traves laterais, e só 15 anos mais tarde foram colocadas as redes nos travessões.

Fonte: Futebol na Rede

Craques do Passado

WALTER CORREIA – WALTER

Iniciou no Matarazzo F.C. de Antonina. Em 1956 defendeu a A.A. 29 de Maio. Entre os anos de 1957 a 1959 integrou o time do Apucarana (GERA – Grêmio Esportivo Recreativo de Apucarana). A partir de 1961 o GERA passou a ter denominação de Apucarana F.C. Nesse ano (1961), Walter participou dessa agremiação, cuja formação estava assim composta: antovani, Pedrão, Nelson, Fernando, Zé Maria e Neri. Jorge, Aroldo, Joel, Walter e Rubinho (irmão de Walter).

Jogaram ainda: Milton, Aramis, Alaor, Áureo, Miltinho, China e Moruga.

Em 1962 Walter chegou ao Atlético Paranaense, ficando no clube até 1966. Em 1967 foi negociado com o Coritiba. Também jogou no Guarapuva e na Seleção Paranaense.

Como disse Carneiro Neto em seu livro “A Paixão das Multidões” em parceria com Vinicius Coelho: “Atacante atarracado, valente e goleador. Walter encantava a torcida com a sua força física e os chutes fortes com os dois pés”.

Goleador emérito pelos clubes que passou, o aguerrido Walter aliado a qualidade técnica de Nininho, formaram uma dupla inesquecível no ataque rubro-negro dos anos 60.

Foi um jogador extraordinário e muito admirado pelos torcedores pela forma de jogar como um verdadeiro tanque, mas com extrema qualidade. Como dizem os conterrâneos, Walter era um exímio fabricante de gols.

– Campeão pela A.A. 29 de Maio em 1956;

1956

– Artilheiro do Campeonato Paranaense pelo Atlético Paranaense em 1965 com 24 gols;

(Agachados da esquerda para a direita, o primeiro é Walter o último é Nininho, em jogo contra o Flamengo do Rio de Janeiro com vitória do rubro-negro paranaense por 3×2)

-Estréia pelo Coritiba

06/08/1967 – Coritiba 3 x 2 Atlético de Madrid (Espanha)

· Local : Estádio Belfort Duarte (Curitiba)

· Gols do Coritiba: Walter (3 gols)

· Detalhes:

– A dupla Kruger e Walter simplesmente infernizou a defesa espanhola. Após a partida, o técnico do time de Madrid, Oto Glória, fez de tudo para levar um dos dois para o futebol espanhol.

Fonte: ANTONINA E O ATLÉTICO – CLAUS LUIZ BERG

Revista Futebolística Ilustrada dos craques antoninenses que envergaram a camisa do Clube Atlético Paranaense – 2009

Placar Esportivo

Acompanhe a programação dos jogos do final de semana:

SÊNIOR

A confirmar

SUB-20

A confirmar

Amador

A confirmar

CAMPEONATO BRASILEIRO SÉRIE A

37ºRodada

CAMPEONATO BRASILEIRO SÉRIE B

38ºRodada

Sex, 27/11/2009

  • 21:00
    Portuguesa 1×1 Campinense
  • 21:00
    Paraná 1×1 Fortaleza
  • 21:00
    ABC 0x1 Bragantino
  • 21:00
    Duque de Caxias 4×1 Ponte Preta
  • 21:00
    São Caetano 2×1 Figueirense
  • 21:00
    Atlético-GO 0x3 Bahia

Sáb, 28/11/2009

  • 17:10
    Guarani 2×1 Juventude
  • 17:10
    Ipatinga 2×0 Vasco
  • 17:10
    Brasiliense 2×1 Vila Nova
  • 17:10
    Ceará 0x0 América-RN

Baú do Futebol Antoninense

AA 29 DE MAIO BI-CAMPEÃO EM 1981

Importante destacar, que em 1980 não houve a disputa do Campeonato Amador de Antonina, por isso ao levantar o caneco mais uma vez o 29 de Maio tornou-se Bi-Campeão.

Em 1981, o 29 de Maio manteve a base da equipe campeão invicta e somente com vitórias do ano de 1979, como já foi dito em outras oportunidades, foi uma geração talentosa e vitoriosa, que desbancou fortes adversários, com destaque para os rivais Ceará e Guará, o que enaltece ainda mais esse time Campeão.

Esse time vitorioso soube usar a técnica para vencer com classe, a raça sempre quando foi preciso, mas acima de tudo, tinha uma mentalidade VITORIOSA, honrando dessa forma as tradições da camisa do Glorioso.

Podemos destacar nessa equipe vários jogadores, como: a qualidade técnica de Carlos Miguel, Newton e Durval ; a classe de Juninho, Tadeu e Chinoco; a raça de Vitinho, Caetano, Hélio, Evaldo, Tuca e Zico; tendo no ataque a velocidade e juventude de Nélio, Claudinho e Nonô; no gol contando com a experiência e segurança de Paulinho Capivara, Zoinho e Cesar Cobra e é claro tendo na frente de ataque o MATADOR , Luis Carlos Cabeção.

Além disso, o 29 de Maio, possuia uma diretoria e comissão técnica que montou um grupo com a alma do 29 de Maio, tendo na presidência o saudoso Eduir Heleno dos Santos, como diretor de esportes Herbert Miguel Tavares, o massagista Pelego entre outros.

Era realmente um time quase perfeito, titulo que mereceu todas as honras e glórias, com direito a entrega das faixas de Bi-Campeão no antigo Operários. Que saudades!